24/04/12

lingua gestual - gestos de uso corrente

a autora M. Carolina Pereira Rosa V~em a nossa escola no dia 7 de Maio e estamos a trabalhar uma história

Era uma vez... Um rato, outro rato e ainda outro rato. Três amigos inseparáveis, grandes companheiros de aventuras, deixam um dia bairro pobre onde sempre viveram e instalam-se num bom esconderijo, que descobrem na biblioteca de uma escola da cidade. Aí, onde nada lhes falta, passam a ter uma vida regalada. Os ratinhos sabem aproveitar muito bem esse bom viver, mas um dia um acontecimento inesperado leva-os a novas aventuras. Uma divertida história onde não falta o bom senso de muitos provérbios contextualizados.

Ficha detalhada: "Rato Sá, Rato Zé e Rato Li no Reino das Histórias" de M. Carolina Pereira Rosa

Autor M. Carolina Pereira Rosa
Ilustração Patrícia Espírito Santo
Editora Soregra
Data de Lançamento Novembro 2011
ISBN 9789898195371







Click to play this Smilebox slideshow
Create your own slideshow - Powered by Smilebox
Personalize your own free slideshow

Revolução dos cravos ...o que fizemos para relembrar

Revolução do 25 de Abril pode ser revivida passo a passo pelo Facebook


S

Recordar a "Revolução dos Cravos", passo a passo, como se estivesse a acontecer hoje, é uma iniciativa que a Universidade de Coimbra (UC) vai pôr em prática durante 24 horas, convidando os cidadãos a acompanhá-la pela rede social "facebook".

A iniciativa "De 24 para 25 de Abril - emissão histórica em direto" inicia-se às 22 horas do dia 24 e prolonga-se até à noite de 25, e quem quiser acompanhá-la apenas terá de se conectar no endereço https://www.facebook.com/cd25a, do Centro de Documentação 25 de Abril da UC.







Visitamos vários sites na Internet e encontramos histórias sobre o 25 de Abril  ..planeamos fazer textos e ouvir a música que é o simbolo do 25 de Abril  e muitos cravos

23/04/12

O gafanhoto e as formigas









dia mundial do livro - Fazer livros

O Dia Mundial do Livro é comemorado, desde 1996 e por decisão da UNESCO, a 23 de Abril. Trata-se de uma data simbólica para a literatura, já que, segundo os vários calendários, neste dia desapareceram importantes escritores como Cervantes e Shakespeare. A ideia da comemoração teve origem na Catalunha: a 23 de Abril, dia de São Jorge, uma rosa é oferecida a quem comprar um livro. Mais recentemente, a troca de uma rosa por um livro tornou-se uma tradição em vários países do mundo.



canção do gafanhoto eo dia mundial da terra

neste dia falamos da importância de proteger o planeta

pintamos a cara com a  terra e o sol

decoramos e fizemos um texto
fizemos um livro com uma história
e aprendemos uma canção E fizemos uma história em família






Click to play this Smilebox slideshow
Create your own slideshow - Powered by Smilebox
Customize your own digital slideshow







13/04/12

Reunião de Pais dia 18 de Abril - 17h 30 - Sala 3


Click to play this Smilebox invite
Create your own invite - Powered by Smilebox
Customize your own invitation

jardim de Infância e a iniciação a escrita - cartões com os nomes e a letra manuscrita

fizemos o nosso nome em manuscrito no computador e plastficamos

«Como promover um ambiente rico em literacia em Jardim-de-Infancia e qual a sua importância?»

 
A utilização do computador permite também e para além dos jogos escrever com diferentes tipos de letra, escrever e apagar de uma forma divertida e aguçar o gosto por copiar: o nome dos amigos, o nome das áreas, etc.


Para mim promover um ambiente rico em literacia em jardim-de-infância começa pela forma como é organizado todo o ambiente educativo: organização do grupo, do espaço e do tempo. Assim, através da organização do grupo, a criança inicia um contacto diário com o seu nome escrito, assim como com o dos amigos que farão parte do seu grupo, já que a cada criança é atribuído um cartão com o seu nome escrito, numa primeira fase com letra de imprensa e mais tarde manuscrita; esse cartão é usado sempre que a criança vai “trabalhar” e é arrumado em local visível no nosso caso na lata dos marcadores. O espaço é dividido em áreas de brincar às quais são atribuídos nomes (por exemplo área da casa, área da arte…) afixado em cada uma delas, e com as quais a criança se vai familiarizando, apercebendo-se da sua funcionalidade (neste caso, a orientação do espaço onde poderá brincar conforme aquilo que planeou). A organização do tempo através de instrumentos (previamente concebidos pela educadora) utilizados diariamente pela criança – calendário, mapa do tempo, registo diário das actividades realizadas e que foram mais significativas para a criança – permite o contacto com o código escrito. Todas estas actividades contextualizadas na nossa rotina diária são significativas para a criança.



Click to play this Smilebox photo album
Create your own photo album - Powered by Smilebox
Create a photo album

11/04/12

Votos de Feliz Páscoa

video

                                           fizemos um lindo ovo gigante para enfeitar o painel da escola

O que fizemos na Páscoa- A História do coelhinho da Páscoa e os ovos

Falamos da Páscoa e fomos á net pesquisar  e fizemos os nossos ovos com o programa da crayola
                                 A História do coelhinho da Páscoa e os ovos  
A figura do coelho está simbolicamente relacionada à esta data comemorativa, pois este animal representa a fertilidade. O coelho se reproduz rapidamente e em grandes quantidades. Entre os povos da antiguidade, a fertilidade era sinônimo de preservação da espécie e melhores condições de vida, numa época onde o índice de mortalidade era altíssimo.
falamos das galinhas e dos ovos e recortamos uma muito linda



levamos a receita do folar da Páscoa
O oferecer ovos na Páscoa é um acto que vem da origem do termo Páscoa, que é o nome da Deusa Easter, divindade ligada à natureza, à Primavera e à fertilidade. O ovo sempre simbolizou a fertilidade, fecundidade, no fundo, a criação. Como tal, se antes da Cristandade as ofertas de ovos simbolizava a festa da fertilidade, trazida pela Primavera, depois de Cristo, os ovos simbolizam a sua ressurreição.
A tradição de embelezar os ovos dados na Páscoa, ou, neste caso, na Festa da Primavera, vem da China, do trabalho minucioso e paciente dos chineses. Estes, embrulhavam ovos naturais em cascas de cebola e cozinhavam-nos com beterraba.
Ao retirá-los do fogo, os ovos ficavam com desenhos mosqueteados na casca. Este costume rapidamente chegou ao Egipto, os quais também começaram a oferecer ovos coloridos e desenhados, por altura da Festa da Primavera. Depois da ressurreição de Cristo, os cristão adoptaram este hábito, tornando-se apenas oficializado pela igreja, no séc. XVIII.
A importância dada ao ovo, tem a ver com a sua simbologia, ligada à criação, fertilidade, origem de vida e fecundidade. Gregos, Fenícios, Tibetanos, Indianos, Vietnamitas, Chineses, Japoneses, Siberianos e Indonésios, têm em comum a lenda, de que o mundo surgiu de um ovo cósmico que se subdividiu em dois, formando o Céu e a Terra. Sempre ligado à criação, a história do Hawai conta o mito de que esta ilha foi originada a partir de um ovo, posto nas águas por um pássaro gigante. Mitos Anglo-Saxónicos dão ao ovo a razão da criação do Mundo: da gema nasceu o globo terrestre, da clara, o firmamento e a atmosfera e, da casca, a esfera celeste e os astros.
Desde cedo que se ligou o ovo, à criação da Terra, Homem e estrelas