22/12/09

Votos de um Santo Natal...


A todos as pessoas que visitam este blog, aos meus amigos, colegas e familiares desejo um feliz e Santo Natal, cheio de coisas boas.

Boas Festas e a canção em inglês

Feliz Natal e um Bom Ano para Todas as famílias da Sala 3


Nesta área a criança experimenta vários materiais e suportes, realiza artefactos com materiais reutilizáveis, realiza colagens, pinturas, desenhos com variadas técnicas, manuseia tesouras, agulhas, colas, experimenta e treina noções de espaço relativos ao suporte que nele se inscreve.


Nesta área a criança tem contacto com o código escrito de uma forma informal. Brinca com letras, copia-as, faz tentativas de escrita, imita a escrita e a leitura, familiariza-se com o código escrito, percebe que há uma forma de comunicar diferente da linguagem oral, percebe as funções da escrita

Não se trata de uma introdução formal e “clássica” à leitura e escrita, mas de facilitar a emergência da linguagem escrita.


Nesta área a criança usa o computador para jogar jogos didácticos com diversos temas para o seu desenvolvimento. O código informático pode ser utilizado em expressão plástica e expressão musical, na abordagem ao código escrito e na matemática.


Click to play this Smilebox slideshow: actividades de Natal
Create your own slideshow - Powered by Smilebox
Make a Smilebox slideshow

21/12/09

Um miminho da Fátima e da Zarita para a Ceia de Natal









A Prenda da Fátima e da Zarita para as famílias da Sala 3



A Mãe do Joãozinho trouxe uma abóbora muito grande..depois de observarmos deixamos ficar na sala até que o Natal chegou. O que vamos então fazer coma a abóbora??? Surgiram várias propostas.... Fazer bolos..fazer sonhos..fazer doce...Como o nosso projecto curricular de grupo têm nas suas actividades reutilizar materiais... para que todos juntos ajudarmos a natureza.... resolvemos em conjunto fazer o doce de abóbora e reutilizar os copos de yogourte de vidro da leiteira que como já devem ter reparado nesta época trazem motivos de Natal... Mãos à obra ..no dia do workshop a mãe do Joãozinho descascou a abóbora..Como surpresa a Fátima fez um miminho aos meninos ..fez em casa o doce


e um poema seu dedicado a esta época e gastronomia..a Zarita ajudou na decoração dos frascos que ficaram lindos....aqui vai a receita




A receita de Natal

A receita de Natal

Prepare um tacho do tamanho do mundo.

Lave com muito amor…

Ponha a abóbora triturada levemente

Com muita fraternidade

Junte 500 gramas de amizade

Junte um sorriso de uma criança,

e um pau de canela cheio de ternura e tolerância


Vá ao lume vá mexendo a polme

até ficar em ponto de coração

Continue em lume brando

Indefinitivamente

Despeje num frasco cheio

de beijinhos em pó

e faça uma cobertura do frasco

com pedaços de paz

que conseguir reunir!


Ah não é necessário..sal

Sirva-se em todo o lado

Todo o ano…


Fátima Silva 2009






17/12/09

A expressão plástica no Jardim de infância- o Recorte e a ilustração




As actividades no Jardim de Infância passam por várias áreas de conteúdo, ou seja, diferentes aprendizagens que passam pela realização de actividades variadas. As crianças aprendem mexendo, experimentando, descobrindo, AGINDO.
Assim, o desenho, a digitinta, a pintura, a estampagem, o recorte e colagem, são técnicas de expressão plástica a duas dimensões, empregues na Educação pré-escolar.
Mas, a expressão pode ser tridimensional, por isso há a modelagem (de barro, plasticina, pasta de papel…) e o aproveitamento de materiais de desperdício (caixas de papel, frascos, tampas). A juntar a toda esta experiência há a imaginação infantil, um primeiro contacto com formas de manifestação artística, o prazer de realizar um trabalho.



É através da expressão plástica que, com prazer, é desenvolvida a motricidade fina na criança. A par da utilização dos materiais,começa a tentar representar o que lhe vai na mente. Através desta expressão a educadora tem alguma percepção do desenvolvimento da criança.

a volta da história do GUI e a importância do contacto precose com a literatura infantil

a literatura infantil é um caminho que leva a criança a desenvolver a imaginação, emoções e sentimentos de forma prazerosa e significativa.O jardim de infância busca conhecer e desenvolver na criança as competências da leitura e da escrita e como a literatura infantil pode influenciar de maneira positiva neste processo.

Assim, Bakhtin (1992) expressa sobre a literatura infantil abordando que por ser um instrumento motivador e desafiador, ela é capaz de transformar o indivíduo em um sujeito activo, responsável pela sua aprendizagem , que sabe compreender o contexto em que vive e modificá-lo de acordo com a sua necessidade.

Existem dois fatores que contribuem para que a criança desperte o gosto pela leitura: curiosidade e exemplo. Neste sentido, o livro deveria ter a importância de uma televisão dentro do lar. Os pais deveriam ler mais para os filhos e para si próprios.

Hoje a dimensão de literatura infantil é muito mais ampla e importante. Ela proporciona à criança um desenvolvimento emocional, social e cognitivo indiscutíveis. Segundo Abramovich (1997) quando as crianças ouvem histórias, passam a visualizar de forma mais clara, sentimentos que têm em relação ao mundo. As histórias trabalham problemas existenciais típicos da infância, como medos, sentimentos de inveja e de carinho, curiosidade, dor, perda, além de ensinarem infinitos assuntos.

Neste sentido, quanto mais cedo a criança tiver contacto com os livros e perceber o prazer que a leitura produz, maior será a probabilidade dela tornar-se um adulto leitor. Da mesma forma através da leitura a criança adquire uma postura crítico-reflexiva,extremamente relevante à sua formação cognitiva.

Quando a criança ouve ou lê uma história e é capaz de comentar, indagar, duvidar ou discutir sobre ela, realiza uma interação verbal

video

16/12/09

O Presépio feito em família

Workshop em família - Sala 3

A relação escola Família na Sala 3- Workshop de arranjos de Natal

Workshop de Natal

Na relação entre a família é preponderante estabelecer "a livre circulação entre as duas margens”, para que se torne possível o conhecimento e o diálogo cooperativo entre entidades educativas funcionalmente diferentes mas cujo objectivo é comum.






A verdade é que não se pode estabelecer ligação com aquilo que se desconhece. Para que a família participe é necessário “estimulá-la”, criar-lhe habituação. Neste processo não chegam a experiência e a simples prática do educador. É necessário ir mais além e reconhecer para além da estrutura constante, sob a transformação aparente é necessário (re)conhecer a própria transformação.

É imprescindível conhecer a família, porque conhecer é adquirir instrumentos ao serviço da actividade, só se conhecerá se existir como defende Dewey “a comunicação livre entre a escola e a vida”.


A interacção entre Jardim de Infância e Família leva à acção educativa individualizada


No Jardim de infância o processo de ensino e aprendizagem não pode ser encarado como um processo abstracto que se aplica indiferentemente a todas as crianças. A interacção entre os vários grupos sociais e sobretudo a família, leva o profissional de educação à análise e reflexão da sua própria prática. A colaboração tem que ser procurada, primeiro, pelo profissional. Como elemento de um sistema complexo o educador tem que tomar consciência dos vários papéis que tem que desempenhar e que se interpenetram, influenciando-se mutuamente. A interacção entre os vários grupos sociais é influenciada por relações que exigem do educador estar dentro e fora das instituição escolar. Este estar fora, utilizando várias estratégias, é a facilitação que levará à integração da família no sistema educativo.



Foi com este intuito que promovemos dentro do plano de actividades da Sala 3 um workshop de Centros de Natal, com o apoio de alguns elementos do grupo, com o objectivo de promover antes demais o convívio entre as famílias, bem como o sentido de partilha de saberes. Iníciamos a nosso convívio com um breve texto do conto de Natal um milhão de beijinhos

http://educacaodeinfancia.com/um-milhao-de-beijinhos/
ilustrada pelos seus filhos...

Depois algumas mães presentes teceram comentários acerca da história..pois a participação dos pais nesta história não ficou por aqui..cada uma trouxe uma caixa forrada com uma mensagem de Natal cheia de beijinhos e que iremos ler amanhã ...e que concretiza o simbolismo desta história... Entre azevinho, bolas, paus de canela, fitas, velas não faltou a imaginação e a criatividade de todos os participantes..foi um momento muito bonito de alegre conversa e muito trabalho .. ficaram todos muito bonitos...


No final foi feito um centro para a nossa sala com a partilha dos materiais trazidos por todos...

Enquanto decorria o workshop a mãe do João Barrocas que trouxe uma abóbora enorme fez o favor de prepará- la para amanhã ..os meninos e as meninas da sala 3 ....confeccionarem doces de Natal no atelier de culinária....depois postamos a receita.



A participação das famílas também foi feita nesta quadra com a confecção de um mini presépio em que cada família contribuiu com uma figura...e ficou lindo....


Obrigada a todos que participaram neste convívio e pelos momentos de alegre partilha . Como proposta do grupo ...vamos voltar a organizar mais encontros mas no próximo... prometo que vai haver chá e bolinhos....rssssssssss

UM BOM E UM SANTO NATAL! beijinhos e abraços da educadora Fátima

13/12/09

Símbolos de Natal ...clica aqui para saber mais


Coroa do Advento ou Guirlanda
Guirlanda, grinaldas, festões e arranjos com folhagens nasceram com a superstição de que heras, pinheiro, azevinho e outras plantas ofereciam proteção, no inverno, contra bruxas e demônios. Seus ramos eram usados para afugentar a má-sorte. Representa a mandala, um diagrama em círculo lembrando que a nossa vida é um ciclo de nascimento e morte. Simbolizando a vida eterna e a paz, a guirlanda está presente na decoração natalina atual. Diz antiga lenda que se as pessoas passarem sob ela atrairão sorte para si. Ela é sinal de esperança e vida; sua fita vermelha representa o amor de Deus que nos envolve, e as velas acesas, a fé e a alegria.




Continuando com a decoração de Natal com origami, ontem fiz uma coroa ou guirlanda para enfeitar a porta de entrada da minha casa

Basicamente é um origami modular que em forma circular, onde adicionei a estrela dimensional como adereço.podem encontrar no seguinte link


http://origami.em.blog.br/archives/dobradura-de-coroa-de-natal/




Canções de Natal..e do mundo ...a volta do Natal africano...

video

10/12/09

Os Três Reis do Oriente - história para ler em família

Gaspar

Naquele tempo, na cidade de Kalash, o príncipe Zukarta instaurou o culto do bezerro de oiro.

A estátua poisava nas multidões submissas os seus olhos espantados, muito abertos, pintados de branco e de preto. No fundo das suas pupilas aflorava quase uma interrogação, como se a extensão do seu poder o surpreendesse. Era um jovem bezerro de pequenos cornos torcidos e pernas musculosas, de testa obtusa, curta e franzida. As suas quatro patas, firmemente poisadas na terra, davam uma grande impressão de firmeza e estabilidade que tranquilizava o coração dos seus fiéis. E em todo o seu corpo brilhava o oiro, oiro compacto, duro, pesado, faiscante.

Em frente do ídolo as mulheres curvadas sacudiam sobre o mármore claro dos degraus os sombrios cabelos quase azuis. Dos confins do deserto, dos longínquos oásis, das aldeias perdidas, chegavam homens que depunham em frente do altar a sua oferta: vinham oferecer oiro ao oiro. E os homens bons de Kalash, juízes e chefes guerreiros, desfilavam reverentes em frente do bezerro. Atrás deles vinham os comerciantes, os vendedores, os oleiros, os tecelões. Beijavam os degraus do altar e depunham no chão a sua oferta: traziam oiro ao oiro. Até os sacerdotes da Lua e os seus fiéis e acólitos se prostravam, de joelhos, com a cabeça tocando o solo, em frente do ídolo novo de Kalash.




Zukarta olhava todas estas coisas com grande alegria, pois o culto do oiro era o fundamento do seu poder.

se clicar no títulovai poder ler a história toda

boas leituras

09/12/09

Arranjos de Natal

Reunião convívio - Workshop: Centros de Natal

Workshop: Centros de Natal

Vimos por este meio convidar todas as mães dos meninos da sala 3 a participarem numa actividade criativa. O desafio é construir um centro de mesa para a seia de Natal, ou para oferta.
Venha confratenizar connosco!!!

Surpresa: Traga uma caixa com se fosse um presente e lá dentro uma mensagem de natal ....

Data: 16 de Dezembro pelas 16.30

Material:

Deixamos a escolha dos materiais ao critério e gosto de cada participante.
Os materiais poderão ser:

Velas (a gosto quanto ao número, cor e tamanho)
Bolas ou outros enfeites de natal
Azevinho, pinheiro, ou outra verdura
Pinhas, bolotas, nozes, espigas, bagas vermelhas, paus de canela ou outros ramos, folhas de plátano, ...
Fitas, ráfia, corda
Laços
Pedrinhas
Materiais de reciclagem (cápsulas Nespresso...)

... e muita imaginação!!!!

01/12/09

Todos Juntos à volta do Natal




A Árvore de Natal e o Presépio



Em quase todos os países do mundo, as pessoas montam árvores de Natal para decorar casas e outros ambientes. Em conjunto com as decorações natalinas, as árvores proporcionam um clima especial neste período. Acredita-se que esta tradição começou em 1530, na Alemanha, com Martinho Lutero. Certa noite, enquanto caminhava pela floresta, Lutero ficou impressionado com a beleza dos pinheiros cobertos de neve. As estrelas do céu ajudaram a compor a imagem que Lutero reproduziu com galhos de árvore em sua casa. Além das estrelas, algodão e outros enfeites, ele utilizou velas acesas para mostrar aos seus familiares a bela cena que havia presenciado na floresta. Esta tradição foi trazida para o continente americano por alguns alemães, que vieram morar na América durante o período colonial. No Brasil, país de maioria cristã, as árvores de Natal estão presentes em diversos lugares, pois, além de decorar, simbolizam alegria, paz e esperança. Na sala 3 esta tradição também não foi esquecida ..alguns já tinham feito a sua árvores de Natal...e fizemos textos... e em conjunto cad um iria participar com as sua ideias para construírmos a nossa árvore de Natal mas este ano com uma árvore a sério.. A Fátima trouxe uma árvore muito grande de casa e todos os meninos do jardim de infância vão decorá-la ... Com estrelas, mensagens, bolas, árvores de Natal... tudo feito por nós ....vai ficar linda...Mãos á obra....


O presépio também representa uma importante decoração natalina. Ele mostra o cenário do nascimento de Jesus, ou seja, uma manjedoura, os animais, os reis Magos e os pais do menino. Esta tradição de montar presépios teve início com São Francisco de Assis, no século XIII. As músicas de Natal também fazem parte desta linda festa.
Assim aprendemos a canção da estrelinha .... e a história do Nascimento do menino jesus e com muita atenção respondemos ao recordar da história.....e fizemos as figuras do presépio e carimbagem

Vamos pedir aos pais que colaborem na confecção do presépio da sala 3 com figuras feitas em casa..amanhã vamos levar a história do presépio para casa e tentar com os pais fazer o presépio mais bonito de Aires...

Para o presépio da EB1/JI fizemos uma vaca ora vejam..com cartão, capsulas de nespresso e tintas ...e com ajuda de todos
primeiro desenhamos a cara da vaca





a fase seguinte pintura sobre cartão


a Fátima cortou o corpo da vaca e depois colamos manchas de cartolinas e material reciclado que reutilizamos cápsulas de café nexpresso

venham ver o presépio da escola está lindo....

planeamos fazer muito mais depois vamos falando por aqui....

beijinhos e abraços ..não só no Natal